Teste de Rodapé 1

É Proibido a cópia do conteúdo desse blog sem colocar os devidos créditos. Plágio é crime: Código Penal, lei nº9610/98.

Dionísio

Minha alma carente e desfalecida, em meio a escuridão se diz vencida Mas por que não mais agora? Sinto que só foi outrora Seus lábios pressionados junto aos meus me deixa entorpecida Fazendo-me fugir sem querer ir embora
Te ter me transfigura, faz-me sentir nude em plena clausura Consegues me deixar em mundos distintos sem magia E com apenas teu olhar conteste a minha fúria Você existe ou é uma utopia?
Você é um Deus? Talvez Apolo pra não dizer Zeus Ou seria Dionísio por seu amor ao vinho? Você não precisa mais se sentir sozinho
Eu quero mergulhar na imensidão dos teus olhos Uma esfera tão magnífica que nem o Eufrates consegue superar Não estou dizendo que eles são de Hórus Mas pergunte aos caldeus que eles saberão explicar
Não preciso mais insistir em querer te estudar Com o tempo tudo irá se encaixar E verei como foi bom esperar E aprender tudo que você gosta de ensinar
Você é um Deus? Talvez Apolo pra não dizer Zeus Ou seria Dionísio por seu amor ao vinho? Você não precisa mais se sentir sozinho

My photo, my words, my story

Eu preciso de um álibi que me tire essa saudade, que me ajude a queimar o passado e as promessas não cumpridas.Era tudo um falso paradigma, mas que agora está quebrado, e me libertei das suas mentiras. Cada lagrima que derramei, era como ácido escorrendo e queimando meu rosto. Você se importou? Não se preocupe moço. ''Quando eu estiver bem, vou pensar em nós dois''
Ah, é mesmo? Que citação mais feroz. Como não percebi o claro enigma oculto? Por que não adivinhei que era tudo um insulto? Que nojo da mina inocência, aquela que me fazia acreditar ser sua menina. Posso ter te machucado, mas não ousei a falar ''cuidado'' enquanto não me preocupava. Eu te amei por ultimo e você me matou primeiro. Agora sabe o que eu preciso? De um copo com gelo.

Não

Secret garden editorial4 by ~sarahlouisejohnson on deviantART

Está tudo tão silencioso, tão calmo. Sinto falta da agitação. Devo me martirizar, ou seria em vão? Por que será que as vezes acordo no chão? Ah que saudade da tua mão. Tanta coisa comecei a fazer mesmo que eu não gostasse,  tanta coisa que te dei só para que me amasse. Tantas economias a troco do teu sorriso. Não foi e nunca vai ser esquecido. Não se desgastou, não acabou, não enjoou, apenas está retido. Preciso de força ou de você comigo.

O teu

///


Prosa, poema ou poesia: Nada preenche minha mente vazia. Ácidas lágrimas que escorrem no meu rosto, elas caem pela pessoa certa ou só para encher um poço? Teu olhar apaixonante me fazia paralisar.
Ah....O teu sorriso.
Teu cheiro na minha roupa quer ficar, meu corpo já necessita do seu.
Ah... O teu abraço.
Tua voz me fazia arrepiar, suas carícias, sua mão mágica me fazia se acalmar.
Esse sofrimento vai acabar?
Ah... O...
Nossas crianças, nosso escritório, nosso camarão com alho e óleo.
Nossa banheira com espuma, nossa cozinha de madeira, nossa viagem para a praia.
Nossos cabelos ao vento, nossos perfeitos momentos...
Nada faz mais sentido, algum dia fez, ou ainda vai fazer?

Quando o passado se assemelhou ao presente

Quando vi a cabana me impressionei, nunca podia imaginar que a tal cabana poderia aparentar ser confortável.
- É aqui? Perguntei sorrindo
- É sim, não é o máximo?
- Pelo menos é melhor do que imaginava
- A noite eu vou fazer uma fogueira aqui na frente, vou decorar a cabana com algumas coisas que trouxe, e vou colher frutos pra gente
Fiquei contente por Arthur se importar tanto com a minha felicidade. Ele realmente era o homem da minha vida, no qual eu queria viver eternamente
Ele pegou minhas coisas
- Cris, descanse. Improvisei uma cama pra você lá dentro
- Obrigada. Agradeci cansada
Me deitei confiante
Quando acordei tinha um bilhete ao meu lado:
''Cris, fui procurar frutos para você minha princesa. Não se preocupe, já volto.
Fique lendo o livro que eu trouxe para você, beijos, Arthur. ''
Sorri levemente. A palavra princesa ficou ecoada na minha mente. Peguei o livro e comecei a ler para passar o tempo.
Fiquei preocupada pois estava escurecendo e Arthur ainda não tinha chegado
Ouvi um ruído.
- Cris, gritou ele com um sorriso apavorante
- Ai que susto Arthur.Berrei
- Somos só nós dois aqui
- Vai saber
- Agora feche os olhos e me siga, fiz uma surpresa
Ele saiu andando, tampando meus olhos. Quando cheguei fora da cabana ele contou até três e eu abri meus olhos devagar
- Incrível
- Sabia que ia te impressionar
- Parece até um luau 
Ele tinha feito uma pequena fogueira, pegou alguns troncos de árvores para sentarmos e forrou com folha de palmeira,tudo perfeito. Ele tinha colocado frutos diferentes num pequeno apoio, as cores das frutas impressionava e dava vibração ao ambiente
- Experimente essa aqui, ele me deu uma fruta desconhecida
- Hmmmmm, que sabor maravilhoso, que fruta é essa?
- Não sei, mas esse tom avermelhado me lembrou de você, disse ele empolgante
- Arthur, ese for algo prejudicial? Tiver algum tipo de veneno?
- Não se preocupe Cris, nunca iria te dar algo sem experimentar antes. Já comi umas duas dessa, tem um sabor irresistível
- Ai Arthur, você sempre se preocupando comigo
- Claro, eu te amo. Ele sussurrou no meu ouvido 
Ficamos lá sentados saboreando algumas frutas, só com a iluminação da lua e da fogueira, um clima de tensão e romance
- Cris, me beije. Sussurrou ele mas uma vez
Não dispensei essa oportunidade
- Toquei no seu rosto suave como uma brisa
Ele me olhava com um olhar impecável
- O beijei, senti uma sensação prazerosa 
Deitamos e ficamos observando as estrelas.
(Inferno x Paraíso - Capítulo 03 - Nova vida)

Deep



A partir de vinte e quatro de agosto pensei que tudo iria ser diferente. Música lenta, nós e a escuridão. Não estávamos nos importando por estar deitados no chão. Só faltou um candelabro pra eu morrer de paixão. Foi tudo tão doce, mas com razão. Mas depois disso não houve esforço, não houve diferença. Continuavas sendo assim, tão indiferente pra mim. Me deixavas preocupada, e não custava um aviso. Meu coração martelava a cada segundo, pensando que estivesse em perigo. Vinte e quatro de agosto, pensei que fosse o começo de algo novo. Mas na verdade foi o fim, como se fosse o ponto final. Tudo findado, e meu coração não está acostumado. Boa parte do que aconteceu foi um mal entendido. Mas acabou. E não consigo acreditar. Vou criar forças para desembalar o que ia te dar. Um amor que parecia tão forte e que ninguém poderia destruir, foi destruído por nós mesmos. Cada lágrima ácida e quente que escorre no meu rosto, me deixa no fundo do poço. Profundo foi o nosso amor, profunda é a minha dor. Apenas profun...

Linha vazia

JUST TONIGHT ✖ - taylrmomsen - Fotolog
Ardio, sádico. Pior do que qualquer plágio. Sinto-me ebúrnea, volúpia ardente.Com tantas coisas, mas sem nada em mente. Não consegui antes derramar, aquele negócio que chamam de chorar. E agora o que haverá? Lembranças? Ou tudo será esquecido? Não me contive por ser ignorada, inúmeras palavras em uma madrugada. Pra que? Se não obtive nada. Desconhecido você, que me ligou perguntando o motivo da minha dor. E você que deixou, abandonou, ignorou? Meus deslizes foram muitos, seus erros também. Deveria ter escolhido o porque lutar, se valeria a pena questionar o que antes você preferia ocultar. Todos os meus sonhos antes enaltecidos, agora não são pragmáticos e sim hipotéticos. Estão vencidos. Por que não sei mais por quem lutar, não sei mais quem não me decepcionará. Pra que promessa, pra que jurar? Se nada disso valerá. Escrever ao acordar, caminhar com você depois do noticiário. Isso tudo posso apagar do diário. Por que nunca existiu, e agora não mais existirá. Te dar um beijo de bom dia, com todos as contas pagas em dia. Debruçar-me sob o seu colo, enquanto desabafo por me queimar com óleo. Óleo de cozinha, que estava tentando fritar besteira pra te agradar. Agora quem vai me admirar com aquela roupa que vou comprar? E a fantasia? Essa nunca usei e nunca irei usar. Cada bobagem conversada, cada carícia dada, cada grito fora do ritmo da música. Música. A que tocava e aumentávamos para nos sentirmos vivos. Cada xícara de café não terminada. Cada compra não efetuada. Cada tempo perdido por ações não completadas. Cada ciúme dos meus amigos, adorava o jeito que sussurrava ao meu ouvido. Fazia coisas que não farei com mais nenhum. Pois a intimidade que tínhamos, era única. Quem vai ser agora o meu futuro? Com quem dividirei o meu orgulho? Quem será  o motivo das suas economias? Tenho uma resposta, e está nessa linha vazia:

Vida


 […] Queria tanto dormir com você hoje, queria tanto acordar e vê-lo ao meu lado. (<span class=
Eu quero passar a minha ao seu lado. Eu quero acordar todos os dias e ter que preparar café pra você. Quero que seja amado, que me mande uma sms do trabalho perguntando como eu tenho estado. Quero que o nosso amor perdure.. Que não seja aqueles romances infantis que sempre acaba. Me encontre. Estou te esperando há anos. Já tenho nossa história feita, nossos planos.
Não sei ainda quem é você, mas eu te amo.

domingo, 20 de novembro de 2011.

Lúgubre




Lúgubre dia em que te fiz a aurora
Não contida em nenhuma hora
Fúnebre estado no qual me converti
Apenas para te servir

Mesquinhos agradecimentos os que recebi
Recompensa? Pra que?  Não conheço mais a ti
Ó, quem eras?  E por que mudaste?
Ó, quem és? E por que ficaste?

Vá e não voltes
Ou volte e não se vá

Estou com a pessoa errada
Não foi a ti que conheci
Não foi a ti que me converti no estado fúnebre
Não foi a ti que te fiz a aurora naquele dia lúgubre

Quem és tu?
Quem sou eu?
És menos do que mereces o que dou
Sou mais do que pensas que sou

Vá e não voltes
Ou volte e não se vá

Agora é mais mesquinho ou menos merecido?
Não consigo entender
Nem você entenderá
Quando eu falar que esse texto é sem graça

Sem paixão
Sem coesão
Que nele tem tudo
Sem ter nada

Vá e não voltes
Ou volte e não se vá

Isso não foi hermético
Mas teve conteúdo
Aspiro seu entendimento
Nesse texto tão confuso

O que eu sinto é que de nada adiantará
Que consumi esses parágrafos só para me lisonjear
Quando ler, o que farás é elogiar
A forma como eu escrevo quando não quero falar

Vá e não voltes
Ou volte e não se vá

Fúria

apenas isso.

Seria eu? Seria você?


 



Me arrependo de cada lágrima que derramei. De todas as linhas em branco que preenchi e te dei. Eram cartas que fiz, pelas ilusões que você me fez. Estúpida, eu, de pensar que mudaria. Louca, eu, de achar que feliz seria. Como pude me satisfazer com esse sentimento tão repugnante? Cada curtida errada, cada história mal contada, cada mentira que aguentei; que jurei que fosse a última. Cada incompreensão inócua, cada pergunta idiota. Você pensa que sou amada, com esse beijos grudentos? Acha que são abraços que me faz se sentir AMADA? Nem um cartão de crédito me compraria, com essa vida tão sem nada. Sem o respeito que mereço, e a compreensão que deveria merecer. Sabe o que eu desejo pra você? Crescer. Ah, seu ponto fraco? Me desculpe, ''estava fazendo as coisas e terminei me esquecendo''. Cada olhar indecente que você deu e pensou que eu não vi. Com a metade da sua idade, eu já havia quebrado um coração. Eu não vou sair dessa sem nenhum em mãos. Que seja o meu, o seu, ou de outro qualquer. Vou arrancar algum órgão para sentir-me mulher. Pois com o seu tratamento, me sinto um touro. Mulher? Quando eu me sentir mulher? Ah, essa eu respondo depois. Talvez um pouco antes, daquela webcam de vocês dois. Não venha me dizer que passo isso na sua cara. Eu esqueci, aprendi a conviver com isso. Mas cada dia que passa ao seu lado, me sinto no fundo do lixo. Você sabe que não sou uma qualquer, sabes que dentre as outras, sou a que você quer. Mas não parece. Se sabes tudo isso por que não faz por merecer? Realmente desse jeito vai ter alguém que irá perder.
Seria eu?
Seria você?

My first poem in english

couples
Your hair is so soft
Your mouth and your lips are so hot
I like you a lot
And I would kiss you in a loft
Just think about I wrote
I like your amazing voice
And the way you makes me laught
You make me wanna die in light
With your shameless lie
I like all in you,
My big naughty

Prosa amarela


Ah, sem inspiração. Até mesmo com uma caneta na mão.
Pego um livro para ler, mas não consigo escrever.
Estou desnorteada, completamente sem escada.
Talvez até num fundo de um poço, quem sabem, ei, moço?
Você viu aquele garoto que apareceu na minha janela?
Queria o perguntar como começo minha prosa nessa folha amarela..

Lume

Large

Meu lume, grande foi sua crença pagã, tal que me fez sentir-se uma anã.
Anã de conhecimentos gentílicos, os quais você se acha bravio.
Como uma fênix, és ardio, queimas até no gelo, no frio. Assusta-me entre as sombras dos antepassados têxtil. Berras como um burguês em declínio. Fazes poema com um português sem fascínio. Lume meu, digo-te que és esmeril. Clame por mim, clame por nós.
Meu lume, desate esses seus nós.

Ever after

Large

Tem uma história que começa com era uma vez.
As vezes parece não acontecer, parece que ninguém a fez. É difícil prosseguir, é fácil fugir.
A vida não é fácil, mas parece ser com você aqui. Há momentos que desejo voltar no tempo, desejo-te longe para eu me descobrir, embora que seja difícil tirar você de mim. Por mais que nego, eu te venero.
 E incerta te espero, pois não pareço estar preparada para mim, para você, para nós. Precisamos de um momento a sós.
Tem uma história que termina com felizes para sempre.
Pode até ser essa história, mas não tenho nada em mente.

Prosaico



Comum, banal, fosco, sem sal. Algo que só quer meu mal.
Prosaico, laico, o que você fala se transforma em hebraico,
seus argumentos são sem nexo, ainda nem se formaram por completo,
Tipo um feto.
Seus versos podem ser arcaicos, e seus fatos viram um mosaico.
Você não passa de um enigmático, e ainda vem ser dramático.
Vem querer ser acrobático, fazendo seus malabarismos verbais,
 mas até seu sorriso é monocromático.
Por mais que pareça carismático.
Por mais que pareça burocrático, és prático.
Prosaico.

Velha fotografia

Tumblr_mkjf3uqsfn1qhavevo1_500_large

Achei uma fotografia antiga na gaveta do meu quarto. Ela trouxe de volta todo o meu passado.
 Por um instante senti saudade, mas vi que a foto era uma miragem. Nada acontecera de fato como eu queria, mas acontecerá daqui há alguns dias. Preciso do futuro, preciso agarrar meus sonhos. O passado não me assusta, não me desanima. Estou com auto estima, eu vou vencer essa trilha. Por que uma história feliz se posso escrever uma mais bela? Começo queimando essa fotografia velha.

Sete horas


Tudo aconteceu tão rápido, foi bem antes do combinado. Nunca esperava isso de você, não depois do que acabara de acontecer. Foi algo tão estranho e ao mesmo tempo duvidoso. Seus olhos brilhavam e te deixavam apetitoso. Estou insegura e não sei se vai perdurar, não sei se é uma garantia que pra sempre vai me amar. Hoje em dia acontece muitas coisas de arrancar; todo o sentimento existente desaparece e nos faz chorar.
Aconteceu tão rápido, foi bem antes do combinado. Ontem ás sete horas você me pediu em noivado.

Decifre sozinho.

Eu com 50, você com 5.
Enquanto sou justa você usa cinto.
Não sabe diferenciar inócuo de quieto.
Vai no dicionário procurar o que é;
Enquanto eu rimo sem perder a elegância.

Enquanto escrevo, você brinca de ser criança.
Você é o substrato que ninguém queria ser,
É o tipo de pessoa que da pena só de ver.
Nunca vai aprender, nunca vai crescer.
Em seu túmulo poderiam escrever,
''como foi bom assistir seriado com você"

Cansei, desisto, aprenda sozinho.
Morrerás sem nada, no escuro e no vazio.
Enquanto escrevo algo tão hostil;
Você chupa seu dedo e tenta decifrar sozinho.
Volta pra primeira linha e continua sem entender. O 45 de diferença entre eu e você.

Olha minha cara de,



Quem tá ligando pro que você pensa. De quem está chorando horrores com a sua ausência. 
Que está com paciência; pra aturar suas deficiências.
Te aguentei por ser estúpido, imundo, sem rumo.
Completamente perdido te guiei e te aconselhei.
Agora quer que eu corra atrás? Realmente quer que eu me jogue em seus braços?
Olha minha cara de quem,
vai ter um colapso.
Não queria pegar pesado, você começou ficando desconfiado.
Seu abraço me causa náusea, seu beijo me trás refluxo.
Olha minha cara de quem,
te ama muito.


A..

Quando preciso de ajuda você vem me fortalecer, estando no pior estado você tenta me resplandecer. Sempre faz o necessário para merecer, todo esse amor que eu sinto por você. Como uma criança meio perdida, as vezes é bom ser notada e entendida. Como alguém sozinho precisando de amor, você faz isso sem nenhum favor. É tudo o que qualquer garota sonhou. Você é o meu A..

Falso Paradigma


Eu fui muito idiota. Idiota por achar que você era o que dizia, que tudo aquilo que você fazia, era você.
E eu continuei sendo idiota, achando que você me ouviria, e que meus conselhos te serviria, para não se quebrar outra vez.
Fui muito mais idiota, em acreditar que mudaria, que direito escreveria, pra demonstrar tal interesse na mudança que não teve, que eu iludida achei ter.
Idiota, é o que fui esse tempo todo, achando você um bobo, mas é mais idiota do que eu.
Mentir tanto só pra conquistar, qual era o prêmio que tinha a ganhar? Se for amor está perdendo, queimando com o gelo. O gelo que você me fez se tornar. Não mandei me manipular, nem me fazer acreditar que no favorito meu site está.
Iludida, idiota, tola...Mas quem perde é você.  E eu ganho esse espaço pra preencher, com palavras do interior, falando de você.Teus erros que sempre serão seus, nunca perceberá o que você já perdeu. Já  tornou seu paradigma errar e não saber concertar. Você quer muito um futuro, mas não consegue corrigir o presente. Sinto muito, não posso mais dizer: "tente"
Estou cansada de tentar orientar, o caminho certo que você deverá passar. Já é grande, se vire.
Faça o que quiser, no final verá que não sou criança, sou mulher.
Seu paradigma é só um cartão de visita. Na realidade você exita.


Frio e vazio

Tumblr_m28h7nkhrk1ro2ulro1_500_large

Passivo as vezes mas está frio há meses. Determinado a me manipular, a me fazer sentir do jeito que você está. Explosivo, intolerante, mas no fundo espero que esteja confiante. O despertar da manhã de inverno me faz perceber que há neblina no seu terno. Aquele terno de abril, da época que você não era frio.Que até hoje está aqui. Jogado, esquecido, empoeirado e sem esperança. De que um dia será seu novamente.
Esse terno vazio.
Continue despido, sem seu terno que me animava. Continue nú, com seu amor de faxada.
Pra que você pegaria? Está rasgado, sem bordado, sem brilho, sem fantasia. Só no começo ele era radiante.
Agora é vazio,
 vazi,
 vaz,
 va,
 v..

Escrevo pra quem não merece.

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger